Thursday, November 4, 2010

Why so scared? (Part III)

E você impassível.

Não, não pode ser tão indiferente assim... Eu não estou imaginando, em algum momento que nem mesmo eu percebi você se emaranhou nessa teia de tentação e conquista, que eu tão minuciosamente teço dia após dia.

Eu tento testar, quero ver envolvimento, quero saber se você responde aos meus diferentes estados de espírito. É simples, mas expressivo: se percebe que estou triste, significa que me observou suficiente para saber quando me comporto diferente, significa que olhou para mim e se me olha... Ah, não sou tão indesejável.

Passou no teste. Não entenda mal, eu realmente estava triste.

Olhou-me de uma forma única, indecifrável. Queria falar comigo e não falava. Os poucos metros que nos separavam pareciam intransponíveis. Subitamente eu pareci longe demais, inalcansável, proibida. Por que era tão difícil para você? Eu já não cumpri a tarefa mais árdua? Já não me mostrei dócil? Não mostrei?

Sorri um sorriso sem graça e você pareceu se encher de coragem. Quebrou a primeira barreira e me olhou um olhar tão sincero que eu poderia chorar, poderia lhe abraçar e beijar e... Eu queria tanto você.

Em semelhante situação, dias depois você estava tão pertinho, quatro passos à frente e me tocaria, você me olhava e deu um passo, abriu a boca na tentativa de formular uma frase que escapasse antes de você pensar nos contratempos. Desistiu... Deu três passos para trás antes de romper o cruzar com os meus olhos - tristes de novo.

Medo. O olhar indecifrável é nublado pelo medo. Medo de quando eu chego e ofereço meu melhor sorriso, medo da minha mão leve que toca sua pele sem querer, medo da minha presença, medo de ficar perto de mim...

Seu desconforto é tão palpável que me dói, mas sou incansável, faço você me abraçar. Quero que sinta meu corpo, quero que se acostume com minha proximidade, mas tudo que sinto é medo, um abraço tenso de quem quer fugir. Você é tão transparente... E ainda assim não consigo ter certeza. Tão transparente e ainda tão indecifrável.

Eu quero tanto, e queria poder, e poder fazer tudo mais fácil, mas não posso. Você vai precisar quebrar suas próprias barreiras, e a mim só resta sorrir do outro lado e esperar que seu temor não sufoque seu olhar antes que eu o entenda.