Tuesday, October 26, 2010

Why so scared? (Part I)


É meu sorriso fácil e largo que se oferece até quando não percebo, até para quem não conheço, até quando a vontade é outra? "Sorriso de segunda-feira", ele disse algo que me denunciou.

Minha naturalidade abusada.

Talvez minha conversa ocasional-proposital, comentários sobre todos os assuntos saltam dos meus lábios tão facilmente quanto as ideias dançam à minha frente.

Minha leveza arquitetada.

O meu toque disfarçadamente inocente, um quase 'sem querer' misturado com um 'não há de ser nada'. Um toque para causar dúvida, rápido o suficiente para não assinar a confirmação.

Minha superioridade calculista.

É meu olhar dedicado que acompanha meu desejo; cauteloso quando quer, ou descarado para declarar tão velado interesse, para provocar, para fazer perder o sono. O olhar audacioso inevitável, o distante para ludibriar, olhar cafajeste para brincar... Todos juntos na missão de mascarar o inextinguível olhar bobo apaixonado.

Minha segurança forjada.

No comments:

Post a Comment