Monday, March 15, 2010

Prince Charming's Recipe

“Ele tem vocação para acabar com a minha vida e o pior é que eu vou querer mais” 

Imagine conhecer alguém que preenche quase todos os requisitos daquela sua listinha insana, genérica da receita para Príncipe Encantado. Imagine o Príncipe lá, na sua frente, e num golpe de sorte ou do destino, vocês conversam. Conversam não, é como um monólogo. Nos primeiros segundos em que você não tem voz, só o observa. O príncipe hipnotisa. 

Sua voz, num tom agressivamente suave, divaga sobre assuntos diversos por horas a fio, sem que você precise falar muito e tudo que ele fala lhe interessa, é um poço de “interessantismo” o meu Príncipe. 

Tem a polidez de um Lorde e a gentileza de um cafajeste. É um conquistador nato, mas esse cafajeste se surpreende com a audácia (?) de um beijo de “até mais” vindo de uma estranha. 

Ele tem olhar tímido às vezes, e é lindo... É tão lindo que me dói. 

Nunca se viu, em reinos próximos, simpatia tão gratuita quanto a sua. Conversa com desconhecidos, assaltantes, guardadores de carros, a quem apelida “preguiçoso”. Com ele não há o que temer nas ruas vazias de uma madrugada metropolitana, nem há cansaço que seu sorriso não derrote com louvor. 

O Príncipe não facilita, imagine que você terá que se aproximar, driblando as barreiras do contato – não sabe se existem ou quais são. Você tenta: pega na mão com o pretexto de não se perder na multidão, quebra a resistência do primeiro passo. Faz-se inteira cuidados até receber sua deixa, e não deixa passar. Na noite lilás, declaro meu interesse e recebo um sorriso. O Príncipe não tem palavras, mas procura minha mão, acha, segura... Não soltou a noite inteira. 

Que delícia era poder segurar sua mão. Que delícia foi, por medo de incomodar, desentrelaçar os meus dedos e sentir que ele me procurou. Que delícia foi repousar minha mão sobre sua perna. 

Meu Príncipe me queria e não havia satisfação melhor. 

Ele me queria, mas não me tomou para si, quis esperar melhor oportunidade. Criou, com esforço, a ocasião... Arrepiou-me cada pêlo do corpo quando quis me mostrar uma música. Era a Minha música. Era a dele também. 

Olhava-me com pesar quando eu quase implorava seu beijo, me abraçou forte, marcou um pouco minhas costas, suficiente apenas para eu lembrar, saudosa e com terrível anseio.

3 comments:

  1. Posso dizer que ficou lindo.
    Eu tenho autoridade pra isso! kkkkkk
    Afinal, admiradora nata de romances e de românticos. =]
    Lindo beiber!
    Capítulo 2, eu espero.
    Mesmo que seja este o único, acho que valeu à pena.
    Tantos queriam ser ele!
    Tantas queriam ser você!
    Mas são vocês... =]
    Own! Meigo isso. Me inspirou ler.
    Também quero um!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Aline

    ReplyDelete
  2. Tantos queriam ser ele, capaz de provocar tal sentimento em vc.
    ICEdessebolapramim.

    ReplyDelete