Thursday, March 25, 2010

Get Lost!

Na aula de literatura da uma vontade boa de se perder do mundo....



Fugiu do que era comum a todos
Suspeitou poder mais. Tentou em vão
Desvendar a vida que tanto complicou.
Devia ter visto só que os outros viam
Seus olhos não obedeceram, da ignorância
O apelo de seguir o que parecia prisão
Foram longe, mas nunca com paixão.
O além do horizonte, sonhado, sem saber:
Horizonte era loucura, ou nada ser
Caminho tanto-solitário, quase-insuportável.
Se perdeu do que chamou lar
Vai buscar. Não sabe onde
Mas sabe, já não tem mais lugar.



PS.: Eu sei que não sei escrever poesia, eu já percebi!

UPDATE:

Por trazer em si um desejo maior
Fugiu do que a todos era comum
Suspeitou que podia mais
Da intuição fez brotar a crença
E nos seus passos confirmou a tentativa de um caminho novo
Desvendaria a vida que tanto complicou
Enxergaria cores outras
Seus olhos nunca obedeceriam ao apelo de serem imutáveis
O convite se converteria em cárcere
Acabaria por ser carrasco de si mesmo
Escravo de uma escolha sem propósito
Foi por isso que abraçou o acaso
Escolheu carregar sua verdade
Firmou os passos e fez sua dança
Seus olhos passeiam livres
Longe, sempre mais perto de onde desejou
Além do horizonte, sonhando, sem saber:
Porque horizonte é loucura, ou nada ser
Então, corre os riscos
Retira os véus
Dispensa as previsões
Em cada canto, uma casa
E em toda casa proteção
Fez da busca um abrigo
E do cansaço da luta
A tranquilidade de estar sempre consigo

Resposta de Livinha.
Leva Maré

Monday, March 15, 2010

Prince Charming's Recipe

“Ele tem vocação para acabar com a minha vida e o pior é que eu vou querer mais” 

Imagine conhecer alguém que preenche quase todos os requisitos daquela sua listinha insana, genérica da receita para Príncipe Encantado. Imagine o Príncipe lá, na sua frente, e num golpe de sorte ou do destino, vocês conversam. Conversam não, é como um monólogo. Nos primeiros segundos em que você não tem voz, só o observa. O príncipe hipnotisa. 

Sua voz, num tom agressivamente suave, divaga sobre assuntos diversos por horas a fio, sem que você precise falar muito e tudo que ele fala lhe interessa, é um poço de “interessantismo” o meu Príncipe. 

Tem a polidez de um Lorde e a gentileza de um cafajeste. É um conquistador nato, mas esse cafajeste se surpreende com a audácia (?) de um beijo de “até mais” vindo de uma estranha. 

Ele tem olhar tímido às vezes, e é lindo... É tão lindo que me dói. 

Nunca se viu, em reinos próximos, simpatia tão gratuita quanto a sua. Conversa com desconhecidos, assaltantes, guardadores de carros, a quem apelida “preguiçoso”. Com ele não há o que temer nas ruas vazias de uma madrugada metropolitana, nem há cansaço que seu sorriso não derrote com louvor. 

O Príncipe não facilita, imagine que você terá que se aproximar, driblando as barreiras do contato – não sabe se existem ou quais são. Você tenta: pega na mão com o pretexto de não se perder na multidão, quebra a resistência do primeiro passo. Faz-se inteira cuidados até receber sua deixa, e não deixa passar. Na noite lilás, declaro meu interesse e recebo um sorriso. O Príncipe não tem palavras, mas procura minha mão, acha, segura... Não soltou a noite inteira. 

Que delícia era poder segurar sua mão. Que delícia foi, por medo de incomodar, desentrelaçar os meus dedos e sentir que ele me procurou. Que delícia foi repousar minha mão sobre sua perna. 

Meu Príncipe me queria e não havia satisfação melhor. 

Ele me queria, mas não me tomou para si, quis esperar melhor oportunidade. Criou, com esforço, a ocasião... Arrepiou-me cada pêlo do corpo quando quis me mostrar uma música. Era a Minha música. Era a dele também. 

Olhava-me com pesar quando eu quase implorava seu beijo, me abraçou forte, marcou um pouco minhas costas, suficiente apenas para eu lembrar, saudosa e com terrível anseio.

Friday, March 12, 2010

So What?

- Pára com isso, olha pra você.
- O quê?
- Você é linda.
- Ah, brigada, mas e daí?
- Daí que você é linda. A noite é sua.
- Hum... No fim das contas, beleza não vale muito.
- Não é só ser bonita, é o conjunto, você sabe e só depende de você. Você pode ficar com quem você quiser, quem você escolher.
- Olha, se é que eu sou linda, lhe digo que isso nunca me serviu pra muita coisa, não pro que eu mais queria.
- ...

?

Quem mora em Uberlândia é o que?